Criança de 6 anos morre ao comer bolo envenenado; Tia do garoto é a principal suspeita

Com informações de www.acordacidade.com.br

A tia da criança de 6 anos, suspeita de ter matado o sobrinho, na tarde de ontem (15), em Santo Estevão, distante 340 km de Ilhéus e a 40 km de Feira de Santana, após colocar chumbinho em um pedaço de bolo. Luis Felipe Moura Teixeira Conceição, que morava em Feira de Santana, passou mal e chegou a ser socorrido para o Hospital Dr. João Borges de Cerqueira, mas não resistiu. O fato aconteceu na Fazenda Paulista, e o corpo do garoto foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica de Feira de Santana, para ser necropsiado.

“Fomos ao local do fato e ficou constatado realmente que essa tia, desde 2000, através de relatórios médicos, receitas médicas e guias de internações, passa por tratamento de esquizofrenia. Ela mora na Fazenda Paulista com os pais e, segundo os familiares, ela já envenenou dezenas de animais entre cachorros, gatos e gado com o veneno conhecido com chumbinho. E também no dia 3 de setembro, o pai dela teria sido envenenado com o chumbinho, mas ele não veio a óbito”, afirmou Dorean Soares.

A delegada afirmou que o fato foi registrado na delegacia territorial de Santo Estevão, foi instaurado um inquérito policial e o juiz é que poderá decidir pela internação da suspeita, após um laudo, em que os peritos digam que ela não pode ser punida. “Se ela for inimputável ( que é quando a pessoa é isenta de pena em razão de doença mental ou desenvolvimento mental incompleto e que não era capaz de entender o caráter ilícito do fato por ele praticado ou de determinar-se de acordo com esse entendimento) terá uma medida judicial e poderá ter um internamento num manicômio judiciário ou então se ela for declarada imputável, ou seja, tem a plena consciência do seu ato, será representado pela prisão preventiva dela”, informou.

Ainda conforme a delegada, o menino já chegou ao hospital sem vida. E a suspeita de que ele foi envenenado pela tia com chumbinho só será confirmada após a perícia técnica no DPT. De acordo com a delegada Dorean dos Reis Soares, a tia do menino possui laudos médicos, receitas médicas e guias de internação, que comprovam que ela possui esquizofrenia. Diante disso, a mulher pode não ser punida pelo crime que cometeu, em decorrência da doença, e pode ser internada em um manicômio.

“Quando ele entrou no hospital já chegou sem os sinais vitais. Então o médico não pôde atestar a morte e qual a causa que ele faleceu. Mas pelos indícios familiares e pelas histórias contadas há uma suspeita de que ele comeu um bolo de lanche à tarde e que poderia estar envenenado. Contudo, também foi informado de que outras pessoas comeram esse bolo e não tiveram nenhuma reação. Como ela é comprovadamente esquizofrênica e ontem estava em surto foi internada, pois precisava ser sedada e agora vamos esperar a decisão judicial. E o caso foi assumido pela delegada titular Camila Albuquerque, da delegacia de Santo Estevão”.

A esquizofrenia é caracterizada por pensamentos ou experiências que parecem não ter contato com a realidade, fala ou comportamento desorganizado e participação reduzida nas atividades cotidianas. Dificuldade de concentração e memória também são sintomas. O tratamento costuma ser necessário por toda a vida e geralmente envolve uma combinação de medicamentos, psicoterapia e serviços de cuidados especializados. A causa exata da esquizofrenia não é conhecida, mas uma combinação de fatores, como genética, ambiente, estrutura e química cerebrais alteradas, pode influenciar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.