Cultura do cacau: As dificuldades de conseguir crédito para produzir

“A dificuldade do cacauicultor acessar o crédito está no processo de renegociação de dívidas passadas”. Foi assim que o Diretor do Departamento de Crédito e Estudos Econômicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Wilson Vaz de Araújo, explicou em entrevista sobre os entraves que dificultam o acesso do produtor de cacau ao financiamento do Plano Agrícola e Pecuário – Safra 2017/18.

Ele acrescentou que “quando se trabalha um Plano Safra, se visa produções dos próximos anos e o que o tesouro nacional assume é um risco de desencontro de taxa de risco e inflação, mas o risco financeiro e operacional é papel do agente financeiro”, em entrevista concedida após palestra ministrada por ele sobre “O Plano Agrícola e Pecuário – Safra 2017/18 (ABC – Cacau, Açaí e Dendê)”, em Seminário organizado pela CEPLAC/MAPA no início de agosto (04)  no auditório Hélio Reis do Cepec.

Wilson Vaz de Araújo, Diretor de Crédito do Min. da Agricultura (Foto : Divulgação)

Palestras e debates marcaram a programação do Seminário para avaliação e implementação dos recursos disponibilizados pelo Governo Federal, por intermédio do Plano Safra 2017/18, do MAPA, que prevê a liberação de R$ 2,13 bilhões para a cacauicultura, dendê e açaí. Além de dirigentes e técnicos especialistas da área de crédito da CEPLAC/MAPA, o evento reuniu produtores, agropecuaristas regionais e representantes dos segmentos da cacauicultura e dos agentes financeiros envolvidos diretamente com o crédito rural do referido Plano.

Em seguida os representantes dos agentes financeiros participantes: Romildo Alves (Banco do Brasil – BB), Leilane Benevides (Banco do Nordeste – BN e Alberto Catarino (Caixa Econômica Federal – CEF), apresentaram e responderam questionamentos dos produtores sobre as linhas de crédito integrantes do Plano Safra 2017/18, que estão disponíveis em seus respectivos Bancos, com destaque para o Programa ABC – Cacau, Açaí e Dendê.

coordenador da CEPLAC/MAPA para Bahia, Carlos Alexandre Brandão (Foto: Divulgação)

Ao final do evento, o coordenador da CEPLAC/MAPA para Bahia, Carlos Alexandre Brandão, agradeceu a participação de todos e avaliou que os objetivos do evento foram atendidos. “Nesse retorno a CEPLAC retomamos o compromisso de lutar junto aos produtores pelo soerguimento econômico da cacauicultura e esse evento sobre o crédito rural nos permitiu diagnosticar as dificuldades existentes e o encaminhamento de alternativas junto aos organismos demandados”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.