Governo do Estado investe na ampliação da produção baiana de cacau e do chocolate

O Governo do Estado lançou, nesta quinta-feira (8), o Plano Operacional para o Cacau e Chocolate da Bahia 2018-2022, em parceria com Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC/MAPA). O lançamento aconteceu na sede regional da Ceplac, em Ilhéus, e contou com as presenças do governador da Bahia em exercício, João Leão e dos secretários Jeronimo Rodrigues (Desenvolvimento Rural), José Alves (Turismo) e Geraldo Reis (Meio Ambiente).

João Leão destacou que a ampliação da produção de cacau e o polo chocolateiro são fundamentais para a economia regional, gerando milhares de empregos. “Além do cacau, o Governo do Estado está investindo em obras como o Porto Sul e a Ferrovia Oeste Leste, em parceria com empresários chineses, além da construção da nova ponte Ilhéus-Pontal, já em fase de execução, e da duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna, num conjunto de ações que vão inserir o Sul da Bahia como um grande polo econômico”, enfatizou.

O projeto, que atenderá cerca de 20 mil agricultores, prevê o desenvolvimento de ações estratégicas que permitirão elevar, em cinco anos, a produção de cacau na Bahia para 240 mil toneladas por ano, até 2022, a fim de consolidar a fabricação de chocolates finos, com certificado de origem no Sul da Bahia, através da instalação de 20 agroindústrias. O secretário de Desenvolvimento Rural afirmou que, ao incentivar o aumento da produção, a diversificação e a agroindústria, o governo estadual alavanca a inclusão social de assentados, indígenas quilombolas e agricultores familiares.

Geração de emprego, renda e inclusão social – “Esta é uma pauta ampla, de inclusão, de sustentabilidade. São 114 municípios nos territórios Litoral Sul, Médio Rio das Contas e Baixo Sul, entre os seis territórios com municípios que produzem cacau. São mais de cem municípios que produzem cacau, ou seja, mais de 300 mil famílias que produzem cacau. Foram destinados cerca de meio bilhão de reais. entre títulos de terras, título ambiental, assistência técnica, agroindústria e crédito. Uma grande agenda necessária para a região que tanto precisa e que Ilhéus merece”, salientou Jerônimo Rodrigues.

Representando o Município de Ilhéus, o vice-prefeito José Nazal Soub destacou a atuação do Governo do Estado quanto aos investimentos destinados para o sul da Bahia e em especial para Ilhéus. “Essa é uma visão estratégica para toda a região, por se tratar de uma ação a ser desenvolvida mais de cem municípios do território. Vejo a importância de uma região que está tendo o respeito por parte do governo baiano. Espero que a gente possa ver isso ser incrementado em prol do desenvolvimento regional e de melhores condições de vida para as pessoas que aqui moram”, comentou Nazal.

As ações incluem abertura de linha de crédito específica para a lavoura cacaueira, subsídios para produção de mudas e insumos, criação e indicação geográfica da produção do cacau, preservação da Mata Atlântica, prospecção de novos mercados, capacitação profissional, regularização fundiária e ambiental, difusão tecnológica, assistência técnica e extensão rural (ATER), capacitação, educação, gestão e empreendedorismo e infraestrutura rural. Os investimentos do Governo do Estado no plano devem atingir R$ 80 milhões.

Assinatura de convênios – Durante o evento, foram assinados convênios do Bahia Produtiva, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR/SDR), com 32 cooperativas e associações de agricultores familiares, quilombolas, indígenas e assentamentos, no valor de mais de R$ 9,3 milhões. Os recursos serão aplicados em projetos de agroindústrias, fruticultura, pesca, produção de cacau/chocolate e assistência técnica rural, por meio da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), nos municípios de Ibirapitanga, Ituberá, Presidente Tancredo Neves, Taperoá, Valença, Cairú, Igrapiúna, Camamu, Canavieiras, Ilhéus, Jussari, Coaraci, Ibicaraí, Maraú, Camacan e Itajú do Colônia.

Além da Ceplac e do Governo da Bahia, por meio das secretarias estaduais de Desenvolvimento Rural (SDR), de Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), de Desenvolvimento Econômico (SDE), de Turismo (Setur), Educação  e de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti); integram o plano o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Biofábrica, Universidade Estadual de Santa Cruz/Parque de Tecnologia, Ciência e Inovação, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Universidade Federal do Sul e Bahia,  o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e Associação Nacional das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.