Banco de Sangue de Ilhéus faz ação para sensibilizar a população da importância da doação

O Banco de Sangue iniciou uma ação essa semana sobre a importância de se doar sangue e salvar vidas. A frase pode perecer clichê, mas a necessidade de repor seus estoques de bolsas não.

Chamou a atenção do Ilhéus em Pauta a ação que está circulando pelas redes sociais, em especial o Facebook, de pessoas sensibilizadas com a causa, pela essência que move o ser humano e é umas características da maioria dos  brasileiros: Ajudar, não importa os meios, não importa como.

Doar sangue é um ato de solidariedade. Cada doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. E  este tem que ser o pensamento que doador deve ter ao fazer esse ato.  A redação entrou em contato com o enfermeiro e coordenador do Banco de Sangue do município, Adelson Bispo, que nos relatou necessidade de sempre repor seus estoques e maiores detalhes a respeito:

“As dificuldades são enormes em manter um estoque regular de bolsas sangue, em especial a de plaquetas (que são elementos do sangue que atuam na coagulação)  e sangue mais raros como O Negativo, A Negativo e AB Negativo. Pra vocês terem uma ideia, tivemos dois casos graves que necessitam disso e tivemos a maior dificuldade de conseguir. Os estoques estão muito baixos e precisamos repor com a máxima urgência”, disse o coordenador.

Folder da campanha lançada nas redes sociais (Foto: Divulgação)

E de fato, o Banco de Sangue usa de todos os meios possíveis para repor os estoques. Para se ter uma ideia, só na questão das plaquetas, elas são fundamentais para o tratamento dos pacientes. Há pacientes que apresentam deficiência de plaquetas, causada por transplante de medula, pela ação da quimioterapia ou por terem sofrido alguma intervenção cirúrgica.

Segundo o coordenador, a frequência atual é de 15 a 20 pessoas/dia, para manter os estoques num nível aceitável, tem que aumentar para 25 a 30 pessoas /dia, dai o inicio da ação por todos os meios possíveis de divulgação, que por tempo indeterminado, até que os estoques se regularizem.

É preciso criar o hábito de doar. Atualmente, são coletadas no Brasil, cerca de 3,6 milhões de bolsas/ano, o que corresponde ao índice de 1,8% da população doando sangue (dados de 2015). Embora o percentual esteja dentro dos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ministério da Saúde trabalha para aumentar este índice. O Ministério da Saúde reduziu a idade mínima de 18 para 16 anos (com autorização do responsável) e aumentou de 67 para 69 anos a idade máxima para doação de sangue no País.

Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue.

Para fazer a doação é necessário:

– Levar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);

– Estar bem de saúde;

– Ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 69 anos, 11 meses e 29 dias;

– Pesar mais de 50 Kg;

– Não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação. Se for doar à tarde, faça-o depois de 2 horas após ter almoçado.

Maiores informações podem ser obtidas sobre como e quando doar sangue e plaquetas através dos telefones (73) 3234-5774 e 3234-5766. O horáario de funcionamento é de seg a sexta das 7 as 17 hrs e aos sábados de 7 as 11 hrs.  Você também pode acompanhar e compartilhar as ações do Banco de Sangue de Ilhéus através deste link.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.