Confusão, correria, tumulto e Fake News: Um resumo da rebelião no Ariston Cardoso.

Ilhéus nas últimas semanas tem sido palco de uma sensível aumento de violência. Em todas as regiões da cidade, chegam relatos de mortes, tiroteios, e todo tipo de infortúnio. E a população, que vive à margem disso, se torna testemunha ocular dos fatos e com o acesso as mídias sociais, em questão de segundos um fato toma forma, o que alimenta também a industria dos chamados Fake News, o novo termo que virou uma espécie de brincadeira macabra, deixando pior o que naturalmente já está ruim.

Para dar mais um tempero indigesto ao cenário ilheense, na última quinta feira (12), explodiu uma rebelião no Presidio Ariston Cardoso, na zona oeste da cidade. O real motivo, segundo diversas publicações e meios de imprensa, foi que com a mudança da estratégia feita pela direção do presídio no processo de “pente fino” das celas foi o estopim para que os presos do chamado “Módulo 2” ateassem fogo em colchões em protesto. A ação de revista seria um procedimento da polícia militar,  para apreender armas e telefones celulares na celas.

Noticias falsas circularam nas redes, causando ainda mais confusão. (Reprodução)

Para conter a revolta, os policiais usaram bombas de efeito moral. O Corpo de Bombeiros (5o. GBM) foi acionado para  conter o incêndio, que caso não fosse combatido, ganharia grandes proporções. Equipes da PETO 70 e CAERC foram deslocadas para a região a fim de reforçar o policiamento e ajudar na revista completa da unidade. Não há informações se alguém ficou ferido na ação. Mas familiares dos presos que tomaram conhecimento do fato, foram a unidade prisional em busca de informações. Confusão, gritaria e corre-corre foi o que mais se viu nas imagens recebidas via WhatsApp:

Em tempos incertos como esses não alimente a boataria. Sempre verifique as informações e acredite sempre em informações oficiais das autoridades. Não dê crédito ao pânico. Isso não ajuda ninguém. E que dias melhores pairem sobre a nossa já sofrida cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *