“A filial do inferno!!”: Longas filas e demora marcam o dia a dia no SIT Ilhéus.

A ATRANSPI – Associação das Empresas de Transporte de Ilhéus – é,   uma empresa criada em parceria entre as duas empresas de transporte público da cidade (VIAMETRO e SÃO MIGUEL), com o objetivo de implantar o SISTEMA INTELIGENTE DE TRANSPORTE (SIT), que em resumo, é um mecanismo de alta tecnologia, instalados nos veículos, permitindo o pagamento da tarifa de forma automatizada, prática e rápida.

Situada a Rua Ramiro Castro, no Terminal Urbano, centro da cidade, ela que centraliza as operações de recarga de Vale Transporte, Cartões SIT, atendimentos de diversos tipos, sempre relacionados ao vale transporte, passe estudantil, selos e tudo mais.

Mas o que se nota diariamente aos usuários que necessitam se dirigir a única central de atendimento, é a demora com que o serviço é prestado. Claro, existe dias com muito e outros com pouco movimento, mas segundo informações de usuários que pediram para não serem identificados, desde a demora no cadastro, queda constante de conexão, a quantidade reduzida de funcionários e quando está muito cheio de usuários,  o ar condicionado não dá conta.

Um dos integrantes do Ilhéus em Pauta foi ao local realizar a recarga de seu cartão SIT (como é mais conhecido)  e  era claro o descontentamento de quem estava na fila pelos problemas já relatados anteriormente. Os guichês de atendimento, no total de oito, eram ocupados por apenas duas funcionárias, uma dedicada ao atendimento geral, e outra ao atendimento preferencial e de empresas, que não tinha diferenciação: eram todos atendidos juntos. Caso a atendente preferencial e de empresas tivesse finalizado os atendimentos, atenderiam os demais da fila única. Porém durante os quase 30 minutos em que o Ilhéus em Pauta permaneceu no local, a situação não ficou melhor, onde foi apontado a queda do sistema em seis ocasiões, o que fazia demorar ainda mais o atendimento, o que desconfiamos que seja um problema recorrente.

O site da Atranspi, descontinuado desde 2011, é um desafio ao entendimento. Para se ter um idéia, somente pela ferramenta de buscas Google e digtando “Atranspi Ilhéus” você consegue ver as funcionalidades, também descontinuadas. É como se existisse um site para cada função, como informações das cessionárias do serviço, informações técnicas, horários de ônibus (incompleta e desatualizada inclusive), dentre outras coisas. O correto seria um único site agrupando todas as funcionalidades.

Site principal da Atranspi, descontinuada e sem as todas as funções, não oferece muitas opções aos usuários (Reprodução internet)

Aos darmos por encerrado a nossa saga no local, do lado de fora, um senhor, aparentando 60 anos, acompanhado de seu neto de 14 anos, que tinha ficado uma hora e meia para ser atendido, indignado,  bradou: “Aqui é a filial do inferno! O povo se estressa, o sistema cai, as maquinas (computadores) é do tempo do bufão (risos) e cadê o pessoal? Sumiu”? questionou o senhor. Menores que estavam saindo naquele momento, fizeram sinal de positivo, concordando com o senhor.

Pela quantidade reduzida de atendentes, não conseguimos apurar se o quadro de colaboradores se resumia a aqueles que vimos, nem se pelo movimento crescente por conta da renovação dos selos de alunos de escolas, iriam colocar mais funcionários ou estágios para suprir a demanda por exemplo.

O Ilhéus em Pauta fez o dever de casa e tentou buscar respostas junto à Atranspi para sabermos se há um projeto de melhoria no serviço, contratação de mais funcionários e coisas do tipo, mas não tivemos sucesso, porque os dois números de telefones disponíveis para contato ninguém dava retorno, ou estava com sinal de ocupado. Nem nos arriscamos a perguntar aos poucos funcionários, porque os semblantes sérios e tensos já nos serviram como resposta. Mas a lógica que não bate é: um local em que as transações são feitas a dinheiro, porque não há investimentos para que os serviços oferecidos no local tenham qualidade? Ainda mais, mesmo a contragosto da população, a tarifa sofreu um reajuste.

Em matéria publicada pela Secom Ilhéus em 29 dezembro de 2017, um analista contratado pela Prefeitura de Ilhéus para avaliar o sistema de transporte local , “definiu o serviço como “irracional, desconectado e com graves problemas”, apesar de uma “cobertura boa e acessibilidade ruim”. Isso com certeza deve ser estendido aos serviços prestados pela Atranspi, que precisam de melhorias.

O poder público, bem como os representantes, e tem espaço garantido no site para as suas demandas e esclarecimentos , se for o caso.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.